fbpx

Manifestações culturais e literatura de Contagem

7 de outubro de 2020

Por Marina Vidal (*)

O Sempre Um Papo recebeu o escritor Vinicius Fernandes Cardoso para falar sobre suas obras e sobre a literatura em Contagem. Essa foi mais uma edição do projeto que está acontecendo de forma virtual, devido à pandemia do Covid-19. A conversa foi mediada pela jornalista Jozane Faleiro no dia 7 de outubro de 2020, sendo transmitida pelo Youtube, Facebook e Instagram do Sempre Um Papo.

O diálogo teve início com Vinicius Fernandes Cardoso contando um pouco sobre a história Contagem. “Neste ano de 2020, comemoramos 300 anos da fundação da capitania de Minas Gerais. Desde 1701, já havia manifestações porque Contagem se encontrava no entrecruzamento de caminhos que existiam no Brasil colônia, logo, era um local de passagem”.

Para ele, a manifestação cultural da cidade está muito ligada a religiosidade, que é muito forte em Contagem. “Acho que a primeira manifestação cultural nossa vem do reboque da religião. E é uma religião que envolve várias culturas religiosas diferentes, que promovem muitas festividades o ano todo. Nossa cidade tem a Comunidade dos Arturos, que preserva a religiosidade do Congado”, constatou Vinicius. Ele também destacou o Festival da Juventude de Música e Poesia, que era realizado na Paróquia Cristo Salvador, localizada no bairro Novo Riacho.

Outro ponto importante abordado por Vinícius é que Contagem é uma cidade de proletários. “Por isso, aqui em Contagem teve muitas bandas de rock, que tocavam nas garagens, faziam festivais na rua. O lazer também faz parte da cultura pois, cultura são todas as manifestações subjetivas do ser humano”. Para o autor, o lazer proletário de Contagem é diferente do praticado pela classe média, com destaque para o esporte, principalmente futebol, ao filosofar nas praças e bares e o carteado. “É uma cidade que é um celeiro de artistas”.

A Academia Contagense de Letras (ACL) é obra proveniente de um sonho de Vinicius em ter um ambiente saudável em Contagem para trocar ideias. “Então, um grupo de jovens se reuniu para montar a ACL, que tinha o lema: Uma Flor no Asfalto. Queríamos fazer uma enciclopédia com todos os autores de Contagem, pois tem muita literatura e muita coisa boa”.

Assim, originou-se seu trabalho de pesquisa e interesse pela literatura e pelos autores de Contagem. Vinicius citou na conversa vários autores da cidade como Yendis Asor Said, autor de “O Apocalipse”, e Ignácio Hernandez, autor de “Memória Operária”, um dos livros famosos para o estudo de Contagem, e de “Estação Eldorado”, livro que Vinícius tirou uma expressão que acabou virando título de um de seus livros, “A Alma dos Bairros”, que fala sobre Contagem. “É uma geração comunicando com a outra, mantendo essa tradição, essa linhagem literária”, afirmou.

O convidado também falou do incentivo à leitura na cidade. Um projeto de incentivo é o Pão e Poesia, do poeta Giovanni Mendonça, que contou com a participação de vários autores e que se estendeu por toda a região metropolitana. A ideia era levar poesia e artes plásticas para as padarias dos bairros do subúrbio. Ele lembrou também do Fórum Popular de Cultura, um projeto cultural que começou em 2009 e que representa a expressão de toda uma demanda reunida. “São os artistas da cidade buscando realizar as coisas, trazendo tudo na garra”, comentou o poeta.

O convidado também leu algumas poemas de seu livro “Com o Coração na Boca”, lançado em 2018, contendo quase que todos os seus poemas desde os 17 anos. “Agora, estou mais voltado para a prosa e por isso, hoje, eu me considero um ex-poeta”, brincou.

Para encerrar, Vinícius falou que não acredita no eu lírico e contou sobre seu novo projeto que vai tratar de muitos artistas de Contagem e região. “Agora eu estou empenhado num livro de ensaios, vai ser um livro de perfis. Aguardem! Que eu vou lascar o bambu”.

Essa conversa na íntegra pode ser assistida nas redes sociais do projeto, Instagram e Facebook e no canal do Sempre um Papo no Youtube, por meio do link: https://www.youtube.com/watch?v=t3SVA1rFHLk&t=178s

(*) – Estagiária sob supervisão de Jozane Faleiro

[fbcomments]