fbpx

José Luís Peixoto nos 35 anos do Sempre Um Papo

1 de março de 2021

O Sempre Um Papo abre a programação de 2021, ano que comemora 35 anos de realização ininterrupta, realizando uma série de encontros com respeitados autores da atualidade. No dia 11 de março, quinta-feira, às 18h, o convidado é o escritor português  José Luís Peixoto, que fala sobre o seu mais recente livro “Regresso à Casa” (Ed. Dublinense). O encontro tem transmissão  gratuita pelos canais virtuais do projeto Youtube, Instagram e Facebook. A conversa será mediada por Afonso Borges, curador e idealizador do projeto.

O Sempre Um Papo é viabilizado com o patrocínio do Itaú, Rede Mater Dei e Usiminas, com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura, da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do turismo.

“Regresso à Casa” (Dublinense)

Nos poemas de “Regresso à Casa”, José Luís Peixoto nos fala das quatro paredes de uma casa — e de todas as suas recordações. Evoca a solidão, o isolamento, as portas fechadas, mas também a solidariedade das recordações: a mãe, o pai, os aromas, a família, a aldeia, o amor. Há espaço para a recordação da infância como para a peregrinação pelo mundo inteiro, como um Ulisses em viagem perpétua, rodeado de objetos próximos e voltado para dentro, para o lugar onde se regressa sempre: a casa.

José Luís Peixoto nasceu em Galveias, Portugal, em 1974. É um dos autores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea. A sua obra ficcional e poética figura em dezenas de antologias, traduzidas num vasto número de idiomas, e é estudada em diversas universidades nacionais e estrangeiras. Em 2001, acompanhando um imenso reconhecimento da crítica e do público, foi atribuído o Prêmio Literário José Saramago ao romance “Nenhum olhar”. Em 2007, “Cemitério de pianos” recebeu o Prêmio Cálamo Otra Mirada, destinado ao melhor romance estrangeiro publicado na Espanha. Com “Livro”, venceu o Prêmio Libro d’Europa, atribuído na Itália ao melhor romance europeu do ano anterior. Em 2016, venceu o Prêmio Oceanos com “Galveias”. As suas obras foram ainda finalistas de prêmios internacionais como o Fémina (França), Impac Dublin (Irlanda) e Portugal Telecom (Brasil). Na poesia, o livro “Gaveta de papéis” recebeu o Prêmio Daniel Faria, e “A criança em ruínas” recebeu o Prêmio da Sociedade Portuguesa de Autores.

Serviço:

#SempreUmPapoEmCasa com José Luís Peixoto

Dia 11 de março, quinta-feira, às 18h, evento virtual gratuito com transmissão pelo Youtube, Instagram e Facebook: @sempreumpapo

Informações: 31 22611501 – www.sempreumpapo.com.br

Informações para a imprensa:

Jozane Faleiro – jozane@sempreumpapo.com.br – 31992046367

[fbcomments]