fbpx

Histórias (en)cantadas de Olivetto, em podcast

23 de abril de 2021

Por Marina Vidal (*)

O Sempre Um Papo segue com a programação de 2021, ano que comemora 35 anos de realização ininterrupta, realizando uma série de encontros com respeitados autores da atualidade. No dia 22 de abril, o convidado foi o publicitário Washington Olivetto para o lançamento de seu mais novo projeto, o podcast W/Cast. A conversa foi mediada por Afonso Borges e contou com intérprete de Libras, sendo transmitido pelo Youtube, Facebook e Instagram do Sempre Um Papo. Esta foi mais uma edição do projeto que está acontecendo de forma virtual, devido à pandemia do Covid-19.

Na série de podcasts Olivetto se propôs a abordar histórias, a princípio aquelas relacionadas a sua vida. “Eu já vinha com uma vontade de fazer alguma coisa no mundo digital e gostava muito dos podcasts. Comecei a escrever uns podcasts e imaginei que, apesar de os primeiros podcasts serem aqueles mais deficientes, deveria ter a coragem de contar a minha história sozinho”.

Ao planejar os episódios, o publicitário percebeu que precisava contar sua história da maneira que aconteceu. “Como é que eu comecei? Aonde acertei muito? Aonde errei? Quais foram os prêmios que ganhei? Quais foram os fracassos que tive? Por que a minha absurda relação com meus amigos da música popular? Por que a minha relação com o Corinthians? Quais foram os trabalhos que fiz que eu achava excepcionais e não deram certo? Quais estratégias que deram mais certo? E o que eu imaginava que poderiam dar?”, esses são algumas questões que ele diz abordar em seu novo trabalho.

Ele contou que a opção pela modalidade de podcast se deu devido ao seu interesse pela linguagem radiofônica. “Imaginei que os podcasts tinham característica do rádio. O rádio tem duas coisas que são fascinantes: a instantaneidade, ele é mais instantâneo que a internet, mas os podcasts não têm instantaneidade. Por outro lado, os podcasts têm uma outra característica do rádio, que é a capacidade de mexer com as pessoas”, acredita Olivetto.

O publicitário aproveitou a imaginação do rádio e decidiu contar histórias em seu podcast por meio de músicas. “Eu imaginei que os meus podcasts poderiam ter as mesmas histórias mapeadas ou contadas a partir das canções que, naquele momento, eram as canções mais importantes, executadas e verdadeiras. Mas eu não poderia colocar essas canções cantadas, tinha que colocar só instrumentais para as pessoas lembrarem as letras que estão no rádio”.

Olivetto convidou amigos de uma escola de música em São Paulo, para interpretarem as músicas. “Então, nesses dez primeiros episódios a gente tem todas essas histórias de erros e acertos, sucessos e fracassos, tem mais de 40 músicas interpretadas desse jeito para acionar a memória dessas pessoas”. O primeiro podcast estreou essa semana e a repercussão já está forte. “Posso até garantir que os próximos, que vão estar entrando no ar a cada segunda-feira, às 19 horas, têm o mesmo padrão, o mesmo patamar. Está muito gostoso de fazer e muito gostoso ouvir o que as pessoas estão comentando”.  

A linguagem do podcast pode ser espetacular segundoOlivetto, contanto que tenham qualidade de conteúdo e forma. “Porque tem muito podcast, mas não significa que todos sejam bons. Então, fui atrás da obsessão pelo conteúdo e a forma. Os próximos podcasts, que já estão planejados, vão ser audiovisuais, aonde pretendo estar conversando com alguns amigos, de diferentes áreas que influenciaram fortemente minha vida ou participaram dela. Quero fazer um com o Paulo Mendes da Rocha, falando do prédio que eu morei que ele construiu, que ganhou uma Bienal de Veneza de arquitetura. Quero fazer com músicos, com pintores, com muitas pessoas”.

A música é seu radar social, a maneira por meio da qual ele tenta compreender o mundo. “Desde jovem, lembro de sempre estar pensando e escrevendo muito. Sempre procurei entender a vida a partir da música, particularmente da música popular, mas de todo tipo de música. Falo em um dos podcasts: não sendo a prioridade do meu trabalho, mesmo assim, sou, certamente um publicitário que mais fez coisas, tidas como importantes, na música popular”.

Acompanhe o encontro na íntegra pelas redes sociais do projeto, no Instagram e Facebook e no canal do Sempre um Papo no Youtube, com acesso pelo link: https://www.youtube.com/watch?v=qRXeCZdiUSA

FRASES:

“O rádio é mais instantâneo que a internet, você não precisa nem escrever”. – Washington Olivetto, 22/04/2021

“Eu tenho uma obsessão desde os 18 anos que é fazer o novo, de novo”. – Washington Olivetto, 22/04/2021

“Com a pandemia, eu estou trabalhando mais do que nunca. E eu estou fazendo isso com muito prazer”. – Washington Olivetto, 22/04/2021

“Eu acho que todos nascem para fazer uma coisa bem feita, mas nem todos tem o privilégio de conhecer isso”. – Washington Olivetto, 22/04/2021

“Para você fazer uma boa campanha de comunicação, seja qual for o produto, tem que ser um bom produto”. – Washington Olivetto, 22/04/2021

“A música é o meu radar social”. – Washington Olivetto, 22/04/2021

“Eu sempre procurei entender a vida a partir da música”. – Washington Olivetto, 22/04/2021

(*) – Estagiária sob supervisão de Jozane Faleiro

[fbcomments]