fbpx

Direito, um dos caminhos para se resolver os problemas que a humanidade enfrenta

19 de outubro de 2020

Por Marina Vidal (*)

O Sempre Um Papo recebeu o promotor e escritor Marcus Paulo Queiroz Macêdo e o juiz e escritor Renato Zupo para falarem sobre o “Direito e Literatura”. A conversa foi mediada pelo escritor Luiz Humberto França, no dia 19 de outubro de 2020, sendo transmitida pelo Youtube, Facebook e Instagram do Sempre Um Papo. Esta foi mais uma edição do projeto que está acontecendo de forma virtual, devido à pandemia do Covid-19.

O diálogo teve início com os convidados analisando o futuro dos livros físicos. Segundo Renato Zupo, a venda desses livros teve um aumento de 5% durante a pandemia. “O único incremento de mercado que tivemos em termos culturais no Brasil foi livro e eu acho que ele é insuperável, por décadas ainda teremos o livro físico”. Marcus Paulo Queiroz acredita que haverá uma inversão ente o número de vendas de livros físicos e livros em formato e-book. “No futuro é possível sim que haja essa substituição. Até por questão de meio ambiente e de praticidade, de carregar e de adquirir. Eu acho muito difícil a manutenção integral de livros físicos”.

Renato também fala de seu novo livro “Simplifica Direito: O Direito Sem As Partes Chatas”, que já está distribuído em formato e-book. “Nesse livro eu coloquei o Renato jurista para conversar com o Renato escritor e comunicador para eles trocarem ideias e, principalmente, para um controlar o outro e foi um resultado bastante divertido. E explico as coisas do Direito em linguagem jornalística, o objetivo é que o leigo leia e goste”. O autor escreveu seu livro, assim como escreve seus artigos, crônicas e livros de literatura, em português simples para facilitar a compreensão.

Marcus Paulo também tem várias publicações de Direito, desde livros à artigos. “O direito não serve para resolver todos os problemas da humanidade, ele é um dos caminhos para se resolver os problemas que a humanidade enfrenta”. Entretanto, de acordo com o promotor, o direito somente será determinante para um funcionamento melhor da sociedade se o cidadão contribuir. “O direito é uma ferramenta importante e necessária na regulamentação do convívio social e da distribuição de igualdade, de riqueza, de controle social. Mas é muito importante também que as pessoas assumam suas obrigações enquanto cidadãos”.

Os convidados também falaram sobre a Academia Araxaense de Letras, da qual os três escritores fazem parte. “Se a gente não se encontrar para trocar ideia e divulgar a nossa língua através da literatura nossa língua vai morrer e a Academia Araxaense de Letras é um exemplo de luta para que as novas gerações tenham acesso a lazer e entretimento culturais de qualidade”, disse Renato. “Uma das funções da Academia certamente é essa de difundir a nossa cultura e o nosso idioma”, afirmou Marcus Paulo.

Além do Direito, a poesia sempre foi presente na vida de Marcus Paulo e a ficção na vida de Renato Zupo. Marcus citou um grande desafio da contemporaneidade que se refere a atingir os leitores e mostrou que uma forma de alcançar essa meta. “Nós temos que nos reinventar como escritores para ir atrás do leitor. Não adianta também ficar com classicismos, com posturas tradicionais e não ser lido, quem escreve quer ser lido”. “Você escreve para se comunicar e se comunicar é falar uma coisa que será entendida e só através desse esforço, de sangue, suor e lágrimas, que a gente consegue trilhar esse caminho”, completou Renato.

Para concluir, Renato Zupo e Marcus Paulo Queiroz Macêdo apresentam recomendações importantes. “Sempre li muito romance policial, romance mistério, romance suspense, você escreve o que você lê”, constatou Renato. “Para quem quer escrever, primeiro leia muito e segundo escreva muito”, indicou Marcus.

Essa conversa na íntegra pode ser assistida nas redes sociais do projeto, Instagram e Facebook e no canal do Sempre um Papo no Youtube, por meio do link: https://www.youtube.com/watch?v=Ws1d_rY6jZM

(*) – Estagiária sob supervisão de Jozane Faleiro

[fbcomments]