fbpx

As Naturezas de Ser

6 de abril de 2021

Texto: Marina Vidal – estagiária sob supervisão

O Sempre Um Papo segue com a programação de 2021, ano que comemora 35 anos de realização ininterrupta, realizando uma série de encontros com respeitados autores da atualidade. No dia 5 de abril, os convidados foram os artistas Gilberto Gil e Bené Fonteles que falaram sobre o tema “As Naturezas de Ser”. A conversa foi mediada pelo jornalista Afonso Borges, sendo transmitido pelo Youtube, Facebook e Instagram do Sempre Um Papo. Esta foi mais uma edição do projeto que está acontecendo de forma virtual, devido à pandemia do Covid-19. 

Para Bené Fonteles, o ser humano e a natureza estão tão ligados que ele não consegue fazer a dissociação. “As naturezas de ser são internas e externas, como falavam os aborígenes da Austrália, a unicidade divina e humana são uma só, não se separam”. Entretanto, para o artista, com a industrialização, intensifica o processo de separação do homem com a natureza. “Essas separatividades criaram a crise que estamos agora. Não é possível separar homem e natureza, é tudo uma coisa só, uma unidade”. 

Gilberto Gil acredita que a natureza de seu ser passou a se modificar desde a infância, quando passou a ter percepção sobre as coisas. “Dá a impressão que, à medida que for se deslocando, saindo do espaço da família para o mundo, entrando na cidade, vão se acumulando os modos de abordagem da consciência. E ela passa a ser abordada por tudo aquilo que é”. Para ele, a natureza do ser passa por vários processos e influências ao longo da existência, que influenciam em sua formação. “O ser é essa performance permanente da consciência nas consciências, a partir das especificidades e expressividades de cada um, os lugares onde essas pessoas passaram e as naturezas que se sobrepõem vão dando essa consciência”.

Bené é autor do livro “Gil Luminoso – A Poética do Ser”, obra inspiração para a conversa. Ele contou sobre sua proposta inicial. “Na verdade, o Gil que começa a fazer indagações muito profundas dentro da história da música popular brasileira. E, por isso, eu fiz o livro para compreender esse ser humano que, mesmo na prisão, começa a fazer composições que são até metafísicas como ‘Cérebro Eletrônico’, ‘Vitrines’, ‘Futurível’, já que era livre dentro da prisão, porque a mente dele voava”. Bené disse que o repertório enriquecido de Gil se deve, principalmente, a adoção pelo artista de mestres espirituais desde o começo de sua vida. “As pontes que ele faz entre ocidente e oriente, ninguém faz na música brasileira. Quando escolhemos das 50 letras que estão no ‘Gil Luminoso’, eu vou entrevistando-o e contado a gênese de cada música e é possível perceber como ele vai evoluindo como ser”, lembrou Bené. 

A arte de registrar os fatos com metafísica é um costume de Gil. “Chega um momento na vida em que eu começo a fazer registros dessa minha condição humana no mundo e como a vida me afeta. No meu caso, esses registros são as músicas, as melodias, as harmonias, os ritmos e as palavras que vão se juntando para dar testemunho dessas coisas”. A descrição é muito importante para o artista e é muito presente em suas obras. “Minha vida e meu trabalho foram dar testemunho de uma consciência que concentra muitas radiações desse mundo do ser, das coisas e dos múltiplos seres. Hoje em dia, eu não sei me referir à minha vida e ao meu estar aqui, a não ser dessa maneira”. 

Essa luminosidade da música de Gil também se aplica à sua literatura. “Desde que a necessidade de registrar o sentir, o pensar foi se colocando para mim, a utilização das palavras ficou inevitável”. Ao trabalhar com a música, o artista não só tinha que fazer a sonoridade, como se atentar ao som das palavras e aos significados que elas podem gerar.  “Essa busca do que quer dizer uma palavra foi se tornando uma exigência cada vez maior e eu fui passando dos versos simples da adolescência, lembrando dos sentimentos que as minhas paixões inspiraram em mim, até o sentimento do pasmo com a grandeza da própria natureza e o sofrimento humano, as primeiras perdas da infância. Fui pegando o laço para a transformação poética”.

A linguagem de Gil, segundo Bené, é transcendente. “Para mim, o Gil é o artista mais completo que tem nesse país. Não é só a questão estética do trabalho dele, da sua poética profunda e do grande músico que é, porque ele inventa um tipo de tocar violão absolutamente genial, mas as políticas públicas, o que ele fez no Ministério da Cultura, arrebentou com a cultura brasileira. Então, a minha admiração vem dessa luminosa que está transmutando energia”.

Acompanhe a conversa na íntegra pelas redes sociais do projeto, no Instagram e Facebook e no canal do Sempre um Papo no Youtube, com acesso pelo link: https://www.youtube.com/watch?v=y5L0vj216wo 

FRASES:

“Estamos vivendo um momento muito desafiante e que não podemos esquecer dessa tipologia de ser, porque também ela nos levou à pandemia, com a questão ambiental que se formou no mundo”. – Bené Fonteles, 05/04/2021

“O ser vai se performando”. – Gilberto Gil, 05/04/2021

 “O ser é essa performance permanente da consciência, nas consciências”. – Gilberto Gil, 05/04/2021

“A Terra está em transição para outro momento de ser da Terra”. – Bené Fonteles, 05/04/2021

“É um momento escuro, mas está na hora de transcender”. – Bené Fonteles, 05/04/2021

“A luz no tempo é intermitente com a escuridão” – Gilberto Gil, 05/04/2021

“Esse agora é uma ilusão” – Gilberto Gil, 05/04/2021

“A humanidade, no fundo, reflete esses espasmos permanentes da natureza” – Gilberto Gil, 05/04/2021

“É da condensação de consciências fragmentárias que é feita as nossas pequenas consciências” – Gilberto Gil, 05/04/2021

“Chega uma época na vida da gente em que tudo precisa se resumir” – Gilberto Gil, 05/04/2021

“Desde que a necessidade de registrar o sentir, o pensar foi se colocando para mim, a utilização das palavras ficou inevitável” – Gilberto Gil, 05/04/2021

“As palavras dizem, mas o que é aquilo que elas querem dizer?” – Gilberto Gil, 05/04/2021

“Tive que fazer a sonoridade, não só a música, o som das coisas, mas também o som das palavras e dos significados e significantes daquilo que elas querem dizer”. – Gilberto Gil, 05/04/2021

“Todo ser humano tem o seu filtro, esse é o papel da consciência humana” – Gilberto Gil, 05/04/2021

“Minha vida e meu trabalho foram dar testemunho de uma consciência que concentra muitas radiações desse mundo do ser, das coisas e dos múltiplos seres”. – Gilberto Gil, 05/04/2021

[fbcomments]