fbpx

João Candido Portinari fala do pai e lança livro póstumo de poemas

7 de agosto de 2019

 

O Sempre Um Papo recebe João Candido Portinari criador do Projeto Portinari e Presidente da Associação Cultural Candido Portinari, para o debate e o lançamento do livro “Poemas de Portinari”, reeditado pela Fundação Nacional de Artes – Funarte, em nova edição ilustrada. A obra é comemorativa dos 40 anos do Projeto Portinari. Nos últimos anos de sua vida, já consagrado como o grande pintor brasileiro, Candido Portinari passou a escrever poesia, sem a pretensão de publicar. Foi por insistência do amigo Antonio Callado que decidiu aprovar a publicação de uma coletânea, que saiu em 1964, dois anos após a morte do autor, pela José Olympio Editora. O evento será no dia 10 de setembro, terça-feira, às 19h30, na sala Juvenal Dias do Palácio das Artes, com entrada gratuita.

 

A primeira edição saiu sem ilustrações, conforme determinara Candinho, que não queria se aproveitar da boa fama de pintor para vender o livro. Nesta reedição da Funarte, porém, uma vasta pesquisa foi empreendida pelo Projeto Portinari para encontrar as pinturas mais apropriadas para ilustrar os poemas. O resultado é um belíssimo livro ilustrado, com poesia e pintura inspiradas nas memórias da infância do artista em Brodowski (SP). Preservada a seleção dos poemas preparada por Antonio Callado, o Projeto Portinari alterou levemente a disposição dos textos e fez alguns acréscimos, a partir de minuciosa comparação com os manuscritos originais de Candinho. A organização original dividiu os poemas em três grandes partes: a primeira sobre a alegria do menino no interior paulista; a segunda sobre os medos da infância; e a terceira, de cunho social, sobre a revolta que o homem feito sentiu ao se dar conta dos horrores da fome e da miséria. A nova edição vem acrescida de uma quarta parte, Odes, em que Portinari tece homenagens poéticas. Os textos de abertura históricos de Manuel Bandeira e Antonio Callado foram mantidos e a nova edição traz ainda uma nova apresentação de Marco Lucchesi, presidente da Academia Brasileira de Letras. Com a reedição, o Projeto Portinari comemora 40 anos de empenho na preservação e difusão da obra do grande pintor brasileiro Candido Portinari.

 

Candido Portinari nasceu em 30 de dezembro de 1903, numa fazenda de café perto do povoado de Brodowski (SP). Filho de imigrantes italianos de origem humilde, recebe apenas a instrução primária e começa a pintar aos nove anos. Seis anos mais tarde, muda-se para o Rio de Janeiro e se matricula na Escola Nacional de Belas-Artes. Em 1928, conquista o Prêmio de Viagem à Europa, com o Retrato de Olegário Mariano. Permanece em Paris durante todo o ano de 1930, de onde, à distância, vê melhor a sua terra. Ao retornar, põe em prática a decisão de retratar nas suas telas o Brasil. Preocupado, também, com aqueles que sofrem, Portinari mostra em cores fortes a pobreza, as dificuldades, a dor. Participa da elite intelectual brasileira numa época em que se verifica uma notável mudança na atitude estética e na cultura do País. Torna-se um dos maiores pintores do seu tempo. Por seu envolvimento político, foi perseguido e chegou a se exilar por certo tempo no Uruguai. Na última década de sua existência cria, para a sede da Organização das Nações Unidas, os painéis Guerra e Paz. Candido Portinari faleceu no dia 6 de fevereiro de 1962, vítima de intoxicação pelas tintas.

Trecho do livro Poemas de Portinari

Viajante Solitário
Não me quiseram, enjeitaram
Minhas palavras…
Serei um dos meus espantalhos?
Afugento os caminhantes?
Não, eles se afugentam. Não
Entendem a lua
Não sabem da poesia
Só não estou, mesmo não estando
Comigo. Converso com o vento e a
Tempestade.
De noite ou dia – verei as sombras
E dormirei em paz. Tenho uma
Camisa. Meu leito é embaixo das
Árvores. Tranquilo ouço o rumorejar
Das folhas secas…

João Candido Portinari é Ph.D. pelo Massachusetts Institute of Technology – MIT. Fundador do Departamento de Matemática da PUC-Rio em 1967. Filho do pintor Candido Portinari, em 1979, criou o Projeto Portinari, trabalho universitário de equipe multi-disciplinar, empenhado no levantamento, catalogação, pesquisa e disponibilização de um vasto acervo documental sobre a obra, vida e época do pintor Candido Portinari (1903-1962). É também Presidente da Associação Cultural Candido Portinari, sucedendo ao seu primeiro Presidente, o Professor Afonso Arinos de Mello Franco.

Serviço
João Candido Portinari no Sempre Um Papo
Dia 10 de setembro, terça-feira, às 19h30, na Sala Juvenal Dias do Palácio das Artes – Avenida Afonso Pena, 1537, Centro/BH.
CAPACIDADE DA SALA: 170 LUGARES. ENTRADA POR ORDEM DE CHEGADA.
Informações: 31 32611501 – www.sempreumpapo.com.br

Informações para a imprensa:
Jozane Faleiro – jozane@sempreumpapo.com.br – 31 992046367

[fbcomments]