fbpx

Luis Nassif e a história de Whalter Moreira Salles, o banqueiro-Embaixador

4 de abril de 2019

 

O jornalista Luis Nassif é o convido do Sempre Um Papo para debate e lançamento da biografia “Walther Moreira Salles – O Banqueiro-Embaixador e a Construção do Brasil” (Companhia Editora Nacional). Em 445 páginas, ele conta a história do banqueiro e embaixador, considerado o mais expressivo financista brasileiro do século passado, uma espécie de Barão de Mauá do século XX. O livro conta sua história a partir de uma convivência privilegiada de três anos com o biografado, além de entrevistas com os principais personagens da história brasileira dos anos 1940 a 1980.

 

O encontro com o autor será em Araxá, no dia 24 de abril, quarta-feira, no Teatro Municipal; e em Belo Horizonte, no dia 25 de abril, quinta-feira, às 19h30, no auditório da Cemig, ambos com entrada gratuita.

 

Nestes tempos de perda de rumo nacional, “Walther Moreira Salles – O Banqueiro-Embaixador e a Construção do Brasil” descreve os principais capítulos da saga brasileira no século XX, um país que era pequeno, mas pensava grande, e se tornou a economia de maior crescimento do planeta até os anos 1980, em que pese a sucessão de crises políticas do período. Walther participou dos episódios mais relevantes do século e os narrou ao Nassif com riqueza de detalhes e olhar contemporâneo.

 

Através dos olhos de Moreira Salles e seus sócios, o livro descreve a passagem do Brasil do café para as primeiras sociedades informais de capitalistas, a criação do sistema bancário nos anos 1930, a saga do petróleo nos anos 1940, o rodoviarismo nos anos 1950, o mercado de capitais nos anos 1960, o nióbio, o papel e celulose.
Essas histórias são descritas nos ambientes sociais da época, da pequena Poços de Caldas dos anos 1930, que durante alguns meses por ano recebia a nata política, econômica e artística nacional, ao Rio de Janeiro dos anos 1940, que, de capital de um país quase provinciano, se tornaria uma das cidades mais admiradas internacionalmente. E, finalmente, no ambiente internacional, no qual o casal Walter e Elisinha se tornariam anfitriões festejados nas principais capitais do mundo.

 

O livro descreve a sociedade quase provinciana do Rio de Janeiro dos anos 1940, na qual os principais expoentes se reuniam no fim da noite para jogar biriba. E, depois, o Rio que se abre para o mundo, quando passa a receber refugiados políticos europeus, expulsos pela guerra e pelo nazismo.

 

É com esses imigrantes que Walther se aproxima do novo mundo financeiro que se forma no pós-guerra. O livro relata quem foram essas figuras-chave que abriram os olhos do jovem banqueiro para o mercado financeiro internacional. O livro é entremeado de passagens pessoais do jovem Moreira Salles, suas aventuras com Ary Barroso, Aurora Miranda, Alzirinha Camargo, seus primeiros contatos com os grandes da república que se implantava.

 

Relata as primeiras viagens aos Estados Unidos e o início da consolidação de uma rede de amizades internacionais que lhe permitiria frequentar a cúpula do poder mundial, o exclusivo clube de políticos, empresários e financistas daquela que foi a última etapa do capitalismo de família, tornando-o o mais internacional dos brasileiros do seu tempo, com relações próximas aos Rockefeler e aos Rotschild, com os proprietários dos principais jornais e redes de televisão dos Estados Unidos e Europa. No Brasil, virou anfitrião de John Ford, dos Rollings Stones, de François Cevert e outros nomes ilustres. Paralelamente a isso, tornou-se o homem público que acompanhou os primeiros passos da integração do país com a economia global, a partir do Acordo de Bretton Woods.

 

O livro traz informações inéditas, como o episódio no qual Walther impediu que o jovem Edmond Rotschild fracassasse em uma de suas primeiras experiências empresariais. Décadas depois, Edmond se tornaria o mais reputado gestor de fortunas do mundo.

 

Conta também episódios inéditos da grande operação de compra da Brazil Warrant pelos Moreira Salles. Na época, a Brazil Warrant era um grande conglomerado inglês, com exportadoras de café, a maior fazenda de produção de café do mundo. Foi colocada a venda para que a Inglaterra pudesse pagar suas dívidas de guerra.
Graças aos seus contatos com financistas europeus, expulsos pela guerra, Moreira Salles aprendeu os segredos do mercado de títulos de Zurique. Seu banqueiro, para a operação, era Sigmund Warburg que, com o tempo, aprendeu os segredos dos mercados de títulos. Do banco de Warburg nasceu a poderosa União de Bancos Suíços.

O livro também descreve como, antes de 1964, Walther adquiriu o Banco Safra e como o devolveu à família, aconselhado pelo próprio Edmond Rotschild.

 

O embaixador

No campo diplomático, Moreira Salles foi figura central para a industrialização brasileira do Segundo Governo Vargas e de JK. O crescimento econômico criou estrangulamento nas contas externas. Seu trabalhado como negociador da dívida externa, nos governos Vargas, JK e Jânio, foi fundamental para garantir o ritmo de crescimento. Todos esses episódios são descritos com riqueza de detalhes pelo próprio Moreira Salles.
No plano político, há informações inéditas sobre as razões para a renúncia de Jânio, sobre as relações de Walther com San Tiago Dantas, as rixas com Carlos Lacerda, além as disputas com Roberto Marinho. Relata a grande operação de guerra que garantiu a posse de Jango, com a implantação do parlamentarismo.
No plano pessoal, há histórias saborosas de seu relacionamento com políticos, empresários e artistas. Como a grande farra com Ary Barroso na adolescência, os namoros com Alzirinha Camargo, Alzira Vargas e Aurora Miranda, antes do primeiro casamento; e com Greta Garbo, a mulher mais admirada do seu tempo, logo após o final do primeiro casamento.

Há avaliações pessoais sobre os principais políticos de seu tempo, Getúlio, Juscelino, Jânio, Jango. E as grandes operações financeiras que ajudaram a consolidar uma das maiores fortunas do país e, ao mesmo tempo.
Para escrever o livro, além do depoimento pessoal de Walther Moreira Salles e de seus primeiros sócios, como Homero Souza e Silva, Aloisio Salles, Plinio Salles Souto, Nassif entrevistou as principais figuras do período, como Eliezer Baptista, José Luiz Bulhões Pedreira, Rafael de Almeida Magalhães, Roberto Campos e Lucas Lopes.

 

Livro: Walther Moreira Salles – O banqueiro-embaixador e a construção do Brasil
Autor: Luís Nassif / Editora: Companhia Editora Nacional / Páginas: 448 / Preço: R$ 74,90

 

Sobre o autor

LUIS NASSIF introduziu o jornalismo de finanças pessoais e o eletrônico no país. Ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo em 1986. Nos anos 1990, foi considerado o mais influente formador de opinião do país pela FPJ Pesquisa. Nos anos 2000, foi premiado pela Fundação Nacional de Qualidade como um dos disseminadores dos conceitos de qualidade. Finalista do Prêmio Jabuti de 2002.

Serviço:
Sempre um Papo com Luis Nassif
24 de abril, quarta-feira, às 19h30, no Teatro Municipal – Av. Antônio Carlos, s/n – Centro, Araxá

25 de abril, quinta-feira, às 19h30, no auditório da Cemig em Belo Horizonte – rua Alvarenga Peixoto, 1200, Santo Agostinho.

Entrada Gratuita – Informações – 31 32611501 – www.sempreumpapo.com.br

Informações para a imprensa: Jozane Faleiro – jozane@sempreumpapo.com.br
31 992046367 – 35676714

[fbcomments]