Sempre Um Papo abre 2018 com Juca Kfouri – BH – 20/2

Captura de Tela 2018-01-30 às 12.50.39

Sempre Um Papo abre 2018 com Juca Kfouri

O Sempre Um Papo abre a programação de 2018 recebendo o jornalista Juca Kfouri, para o debate o lançamento do livro “Confesso que Perdi – Memórias” (Cia das Letras). Em quase cinquenta anos de atuação como jornalista, Juca acompanhou de perto, como observador ou como participante (muitas vezes em ambos os papéis), experiências fundamentais do mundo da política, da cultura e do esporte. O saldo é uma inescapável sensação de derrota, que o autor compartilha nesta obra. O evento será no dia 20 de fevereiro, terça-feira, às 19h30, com entrada gratuita, no auditório da Cemig (Rua Alvarenga Peixoto, 1200, Santo Agostinho/BH).

“Futebol e política, política e futebol se misturam como água e sabão, e seria ainda melhor se um e outro fossem mais limpos do que são. Nem por isso o herói do tricampeonato em 1970 é o general Garrastazu Médici; os heróis são Pelé, Tostão e companhia bela”, escreve Juca Kfouri, com agudez e bom humor.

Com o olhar fino do repórter, recorda os desafios de cobrir a Copa de 1982, na Espanha, por telex, com remessas de textos frios e de fotos por avião. A única alternativa ao malote da Varig era apelar para um passageiro prestativo, pedindo a alguém da redação que apanhasse o material na sua chegada. Fax, só na Itália, em 1990, e computador, na Copa de 1994, nos Estados Unidos.

À frente da revista Placar, foi responsável por desvendar e denunciar a chamada Máfia da Loteria Esportiva, bem como por memoráveis capas: uma delas trazia o jogador Sócrates, seu amigo, posando como O pensador, de Rodin. Na Playboy, publicou entrevistas e reportagens singulares, como a que revelou a identidade do desenhista Carlos Zéfiro, segredo que durava mais de trinta anos.

O corintiano Juca, que décadas depois viria a se opor à construção da Arena Corinthians, estava no meio da torcida na noite de 1977 em que seu time quebrou o jejum de mais de vinte anos sem títulos. “Não sei como, mesmo, fui parar no gramado do Morumbi, com uma bandeira na mão, bandeira que não levara ao estádio e não me recordo de ter comprado”, lembra, sem lembrar. É com tal sinceridade que o autor nos oferece estas deliciosas confissões.

Juca Kfouri é jornalista, foi diretor das revistas Placar e Playboy e colunista dos jornais O Globo e Folha de S.Paulo. Como comentarista esportivo, passou por várias redes de televisão e atualmente está na ESPN-Brasil e na Rádio CBN. É autor dos livros A Emoção Corinthians (1982), Meninos eu vi (2003) e Por que não desisto (2009).

“Confesso que Perdi – Memórias” – Juca Kafouri (Cia das Letars) Páginas: 248 / Preço: R$ 39,90 / e-book R$ 27,90

Serviço:
Sempre Um Papo com Juca Kfouri
Dia 20 de fevereiro, terça-feira, às 19h30
Local: Auditório da Cemig – Rua Alvarenga Peixoto, 1200, Santo Agostinho – BH
Entrada Gratuita
Informações: 31 32611501/ www.sempreumpapo.com.br

Informações para a imprensa:
Jozane Faleiro – jozane@sempreumpapo.com.br – 31 35676714/ 992046367